segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

PAVILHÃO DE SÃO CRISTÓVÃO / CENTRO DE TRADIÇÕES NORDESTINAS LUIZ GONZAGA

Inaugurado em 1956 no Campo de São Cristóvão, o Pavilhão de São Cristóvão, projeto do arquiteto Sérgio Bernardes, era o maior centro de exposições da cidade até a inauguração do Rio Centro em 1977 no longínquo bairro da Barra da Tijuca, que na época era completamente deserto, o Rio Centro viria a ser também o maior centro de exposições e feiras da América Latina, e continua sendo até hoje

Pavilhão de São Cristóvão - 1956


Pavilhão de São Cristóvão - Anos 60


O Pavilhão era uma das maiores áreas cobertas do mundo na época, com 156.000m², para cobrir o pavilhão sem o auxílio de colunas, foram lançados cabos de aço compondo uma superfície parabólica. a cobertura original era plástica, anos mais tarde, depois de um vendaval, a cobertura foi substituída por placas metálicas.

Pavilhão de São Cristóvão (Salão do Automóvel) - Anos 60

Pavilhão de São Cristóvão - Final dos Anos 60


Pavilhão de São Cristóvão – 1969


















Pavilhão de São Cristóvão (EXPOSITEC-



70) – 1970









Pavilhão de São Cristóvão - 1984


Fechado em 1988 após uma forte tempestade que arrancou a cobertura, o pavilhão ficou abandonado durante anos. 

Pavilhão de São Cristóvão - Começo dos Anos 90


Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas

Em 2003 foi inaugurado o Centro de Tradições Nordestinas Luiz Gonzaga, pois há 60 anos nessa mesma praça era organizada nos finais de semana a Feira dos Paraíbas no Campo de São Cristóvão. O Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas tem cerca de 700 barracas fixas que oferecem culinária típica (maravilhosa diga-se de passagem), artesanato, trios e bandas de forró, dança, cantores e poetas populares, repente e literatura de cordel. 


Pavilhão de São Cristóvão - Pós 2003