quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

PRAÇA MAUÁ E PORTOS

Pintura de 1841 do francês Jules de Sinety mostrando o porto do Rio e o Mosteiro de São Bento sobre o morro homônimo

Com as obras realizadas no porto, o antigo largo da Prainha transformou-se em praça monumental, chamada Mauá, homenageando o grande pioneiro da industrialização no Brasil, Irineu Evangelista de Sousa, Visconde de Mauá. Ainda em sua homenagem foi erigido em 1910, por iniciativa do Clube de Engenharia, no centro da praça, um monumento com 8,5 metros de altura sobre o qual encontra-se sua estátua, de autoria de Rodolfo Bernadelli.


No início do século, com o crescimento das atividades comerciais, tornou-se necessário dotar a cidade de um cais para atender ao volume cada vez maior de grandes embarcações que chegavam ao Rio de Janeiro, que, sem condições de atracar, ficavam fundeadas no meio da baía. Tal fato levou um grupo de engenheiros a iniciar em 1904 a construção do porto da Praça Mauá, obra concluída em 1910.

Ano de 1916

Nos anos seguintes, a Praça Mauá ficaria conhecida por abrigar o primeiro arranha-céu do Brasil, o edifício do vespertino A Noite, de 22 andares e que, em 1973, passou a sediar também a Rádio Nacional.

Anos '20

Na década de 90 foi construídos um edifício com arquitetura pós-moderna conhecido como RB 1, separado pela Avenida Rio Branco do antigo A Noite, com o qual faz um interessante contraste de épocas.

Ano de 1921

Hoje, a Praça Mauá, durante o dia, por se uma importante área de escoamento do tráfego da cidade, apresenta-se sempre com um grande movimento de veículos, à noite a paisagem se modifica com intensa vida noturna ocasionada pela proximidade do Cais do Porto e a presença de marinheiros em busca de divertimentos. 

Anos de 1930